As mulheres e a arte da negociação.

30 Agosto, 2018 Esther Liska

Como a liderança no feminino pode alcançar resultados.

Erros a evitar e sugestões de melhora que podem fazer de você uma negociadora exímia.

Se existe algo que tem mudado radicalmente no mundo atual é o aumento do número de mulheres nas mais diferentes áreas. No meio desportivo, científico, social, tecnológico, financeiro, empresarial, ou no ensino, a figura feminina tem conquistado espaço e destaque.

Contudo, em pleno século XXI, muitas mulheres ainda não sabem como reconhecer o seu valor, e pelo simples facto de serem mulheres, muitas ainda se sentem constrangidas a pedir aumento de salário, ou a atribuir um preço ou valor à sua atividade. Este é um paradigma a alterar! Uma vez que a mulher já conquistou o seu espaço, chegou a hora de conquistar o seu valor.  É por isso importante negociar e descobrir a arte da negociação.

Sobre mulheres e negociação.

Apenas 1% das mulheres que estão no mercado de trabalho sentem-se à vontade para negociar. Numa sociedade em que o feminismo consiste na luta pela igualdade entre géneros, e onde ainda predomina o masculino, são inúmeras as mulheres que se sentem intimidadas. Porém, a arte da negociação pode fazer com que as mulheres se tornem ainda mais independentes e realizadas profissionalmente. 

O que é preciso para que uma pessoa aprenda a negociar.

A grande dificuldade que muitas mulheres enfrentam na arte da negociação é não entender o que é preciso para que possam iniciar esta trajetória. As mulheres sentem-se inseguras porque não são incentivadas a negociar.

O que é preciso para mudar este contexto na sua vida profissional? 

  • Desenvolva confiança em si mesma, e reconheça as suas qualidades

A maioria das mulheres não reconhece de facto o seu real valor, apesar de desenvolver um excelente trabalho. Ao reconhecer as suas qualidades, a mulher acredita no seu potencial, e na venda de um qualquer produto não existe razão para que não negoceie. Apenas precisa de demonstrar confiança, independência e assertividade na hora da negociação.

  • Mude de atitude 

Mostre-se mais firme. Se acredita que o valor que lhe é atribuído não é adequado, e que a sua prestação não é valorizada, é hora de negociar. Contudo, há algumas atitudes que podem levar a um mau trabalho de negociação.  As atitudes que podem fazer com que você se torne uma má negociadora:

  1. Ter vergonha de negociar. Muitas mulheres não se sentem à vontade, ou se sentem incapazes para fazer negócios.
  2. Não saber o real valor daquilo que está a ser negociado. Outra grande dificuldade das mulheres é querer negociar mas não saber que valor atribuir ao objeti do negócio. Há então que fazer algumas questões a si mesma:
    • Qual o valor que o meu produto tem?
    • Qual a margem de desconto a que posso chegar?
    • Qual o valor inicial que colocarei neste produto ou serviço ?
  3. Sentir-se vítima da situação. Quando tem consciência do seu valor e mostra realmente o que quer, nada a pode subestimar. Todos irão reconhecer. O que acontece é que muitas vezes a mulher não é desvalorizada porque não a reconhecem. O que acontece é que ela é desvalorizada porque não se reconhece a si própria.
  4. Dependência da situação. Outro facto que faz com que as mulheres tenham medo de negociar é estarem dependentes de uma situação. Isso pode afetar todas as áreas de sua vida, não apenas a sua atitude no ramo dos negócios ou do empreendedorismo. Não existe apenas um empregador ou uma empresa. Se de facto acredita que tem potencial, pode ser valorizada noutro lugar. Não tenha receio de perder a sua rede. Mas acredite, se você é realmente boa naquilo que faz, você não ficará desempregada.

Estratégias para ser reconhecida e tornar-se mais confiante no seu negócio.

Há que mudar o modo como as pessoas a vêem, como o seu chefe ou os seus clientes a percecionam para que possa sentir-se mais confiante ao negociar. Se adotar estas novas posturas os seus conceitos mudam, bem como, o modo como vê o contexto em que se insere.

Nem vulgar, nem medíocre e longe dos mexericos. Principalmente no meio empresarial, fique longe de bisbilhotices, ou dos grupos que possam fazer com que sua imagem pessoal não seja favorecida. O poder de negociação pode ser posto em causa porque está com as pessoas erradas e é associada a comportamentos fúteis. Seja uma pessoa interessante. A vulgaridade não consiste no modo como se veste, mas sim no modo como você fala das pessoas. No seu ambiente de trabalho, evite falar da vida alheia. Do mesmo modo, evite assuntos superficiais, como falar de aquisições, evitando ser vista como arrogante.

Espelhe-se em pessoas fantásticas. Existe pelo menos uma pessoa ao seu lado que é bem sucedida e que sabe negociar. Aproxime-se dela, entenda o processo. Pesquisas mostram que o nosso sucesso financeiro está muitas vezes ligado ao sucesso de pessoas bem sucedidas que nos estão próximas.

Entenda e desenvolva o conceito de proatividade. A proatividade mostra que você é uma mulher interessada, que se importa. Quando se torna uma pessoa proativa consegue entender o que de facto as pessoas precisam, permitindo assim entender como funciona o meio em que trabalha, facilitando a ação de negociar.

Comece a negociar a partir de agora.

É imprescindível que comece a negociar o que realmente deseja. Questione-se sobre o que quer. Aumento de salário? Aumento de comissão? Redução de sua carga horária? Um bom automóvel? Férias?

A arte de negociar melhora a sua imagem pessoal. Como? Ao negociar mostra a capacidade de argumentar, de raciocinar, e de demonstrar as suas capacidades.

Mostre que é capaz.

Negociar mostra que você é uma mulher independente que não está com medo de enfrentar as situações, sendo forte, lutando pelo que é justo para você. Negociar é se autovalorizar e mostrar seu valor mediante às outras pessoas, mostrar seu valor mediante ao sexo oposto. Não deixe que os estereótipos criados ao longo do tempo definam a mulher que de fato você é. Os homens respondem às mulheres e conseguem enxerga-las melhor quando elas estão dispostas a negociarem. Negoceie por aquilo que você quer que mude em sua vida: nutrição, modelos, relacionamentos, orientação.

A única pessoa que pode lutar pelos seus ideais é você mesma, não se esqueça do real valor que você tem.  

Gostou do artigo? Compartilhe com sua rede, se identificou, compartihe comigo seus desafios e resultados.

Vemo-nos em breve!

Esther Liska

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *